19 de dezembro de 2010

Outono da vida


Cai , não como o tombo de quem logo se levanta
Mas como a folha que cai no outono
Para nunca mais se levantar , cai para morte

E é assim que me sinto , uma folha
Sem valor ou importância , que cai como tantas outras mais
E que ante o ato corriqueiro que é o cair de uma folha
Não é digno do interesse e da atenção nem mesmo do mais sensível coração

Quem sabe algum dia , milhões e milhões de anos no futuro
Não reste algo que se aproveite do cair de meu ser
Quem sabe algum dia não vejam aquilo
E então pensem "veja ,era assim o cair de uma folha"

Bem , pois mesmo que venha esse futuro , já será tarde
A folha estará caída , morta , seca e se algo ainda restar
Não será nada , perto a beleza que um dia já teve

Nenhum comentário:

Postar um comentário