21 de dezembro de 2010

Só então

Solidão, quem sabe definir o sentimento
De em meio a tudo que se tem
E o tudo que se quer
Seu tudo simplesmente seja o nada

E o que é o nada então
Senão a falta de quem foi
Ou quem sabe a falta previa
Daquilo que ainda um dia será

Talvez, quem sabe até um devaneio
De quem ante multidões
Sente-se só , não fisicamente só
Mas no espírito , na alma

Pois estar sozinho é muito mais que sem ninguém
Vai alem de estar ao lado
Nada adianta ter o corpo
Se a alma não se tem

E o que resta ?
A quem só esta agora
Só com tudo outrora
Agora e sempre é só nada
Nada

Nenhum comentário:

Postar um comentário