12 de janeiro de 2011

Poema Noturno

Quem no dia já não habita
A noite pertence seu ser
E o que o muitos então espanta
A ele faz querer viver
Mas me diga caro amigo
Qual é o mal que há então
Em na noite ter o abrigo
Que pede seu coração
Diga velho companheiro
Qual o valor que pode ter
Caso não for verdadeiro
Aquilo que traz meu prazer
Por isso digo, e com certeza
Conquista-me a lua , e só a lua
Com sua bela pureza

Nenhum comentário:

Postar um comentário