29 de maio de 2011

O pop não poupa ninguem


Quem não deseja seus quinze minutos de fama? Músicos,  atores, escritores, blogueieors, candidatos a sub-celebridades e etc, seja só pra aparecer, ter seu trabalho reconhecido, ganhar dinheiro ou ser eleito vereador de uma cidade desconhecida do interior do estado ou uma infinidade de motivos que podem levar um sujeito a desejar o sucesso. Todos nós desejamos consciente ou inconscientemente sermos bem sucedidos em nossos objetivos, e, porque não, sermos reconhecidos por isso, esse é o combustível que move a humanidade, sonhos, desejos, metas e aquela garota pelo qual faríamos tudo nesse mundo pra tê-la a nosso lado, mas este texto NÃO é sobre isso.

Em oposto às pessoas que buscam o sucesso e a fama, existe uma categoria extremamente irritante em nossa sociedade, pessoas frustradas com seus sonhos e objetivos, que aparentam se alimentar do fracasso alheio como combustível de uma espécie de felicidade sádica ao constatar que não é o único fracassado da face da terra ou simplesmente fazer os demais se sentirem como tal, tenho certeza que você deve conhece ao menos um representante de tal categoria, isso se tiver sorte, se eu quisesse poderia citar pelo menos umas 5 pessoas que conheço, mas prefiro não entrar em detalhes.

O fato é que bom e ruim são dois conceitos muito subjetivos, muitas vezes o que é ruim pra uma pessoa pode ser bom para outra, e não há como definir um padrão para isso, então tanto não podemos afirmar que tudo que faz sucesso é bom, como também não podemos afirmar que tudo que faz sucesso é ruim, tudo depende do gosto pessoal de cada individuo, mas não para essa categoria da qual estamos falando.

Para estes indivíduos qualquer coisa que não se adéqüe a seu gosto pessoal é taxado de lixo (eu, por exemplo, tenho muitas coisas das quais não gosto, mas sei reconhecer que algo pode ser bom por mais que não me agrade) e, em alguns casos, chegam extremo de considerar automaticamente qualquer coisa que faça sucesso como ruim, chegando ao ridículo de muitas vezes deixarem de escutar uma banda a qual consideravam o som como bom apenas porque essa banda começa a fazer sucesso( para manter a imagem de underground, de não gostar de nada que faça sucesso e apareça na mídia ou qualquer outro motivo estúpido que para eles faça sentido), e assim se tornam verdadeiros trolls da vida real ou virtual, que só buscam encontrar problemas e se deliciar da derrota alheia.

Enfim, essa é uma categoria que sempre existiu e sempre ira existir, afinal de contas nem todos irão fazer sucesso, se tornarem ricos e ficarem bem de vida, e, dentre aqueles que não conseguirem, muitos irão se frustrar, mas qual o objetivo deste texto enorme então? Muito simples meu caro leitor, se é que realmente tem alguém lendo e não estou falando com o nada, não podemos desistir de lutar pelos nossos sonhos, por aquilo que acreditamos, por criar um mundo melhor para nos e as próximas gerações, mesmo que não acreditem em você, te chamem de louco e façam de tudo pra te fazer desistir, não desistam!

Não vivemos num videogame onde possuímos um botão pra recomeçar tudo, temos apenas uma vida e uma chance pra fazer essa bagaça dar certo, então por mais que no fim dê tudo errado, melhor vivermos com nossos erros, aprendendo com eles e com o alivio na consciência de termos feito nosso melhor, do que viver o resto de nossas vidas com a frustração de termos desistido de algo que poderia ter dado certo, nos tornando apenas mais um troll acomodado e revoltado com a vida que tem como único alivio rir da desgraça alheia pelo simples fato de não ter nada em sua própria vida da qual se valha a pena rir, tendo esta apenas como uma piada de mau gosto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário