15 de julho de 2011

Semana do Rock #3 Anos 60: Make Love Not War




O Rock cinquentista vinha desgastado pela grande exposição que recebera durante os anos de seu auge e os ídolos da juventude já não vinham mais no mesmo ritmo de antes, Bill Haley havia perdido o grande destaque que tinha antes quando Elvis chegou as paradas, Elvis quando voltou do serviço militar estava longe do jovem rebelde de outrora, Chuck Berry havia sido preso em 1959 tentando entrar nos EUA com uma mexicana de 14 anos para que esta trabalhasse em seu clube noturno e Jerry Lee havia se envolvido num escândalo que destruiu sua carreira ao se casar com sua prima de 13 anos. Era necessária uma renovação, uma nova era estava nascendo para o Rock, e essa nova era começava com um fenômeno que tinha nome e endereço em Liverpool, os Beatles.

Não há como falar do Rock dos anos 60 sem citar a Beatlemania, os Beatles foram a banda de Rock mais bem sucedida da historia, tanto em vendas, sucesso, fãs e, obviamente, com uma incrível qualidade musical. Os Beatles têm a cara do Rock dos anos 60, que começou recheado de esperança e a alegria que tomava conta da juventude e depois, com a explosão da guerra do Vietnã, se tornou o reflexo de uma geração confusa, perdida em meio a tantos acontecimentos e que começava a encontrar nas drogas que se popularizavam uma espécie de fulga de tudo aquilo e inspiração para motivar as esperanças de paz e de um fim para toda aquela violência e melancolia que tomava conta do mundo.

Estou dando destaque aos Fab Four pelo grande destaque que tiveram, mudando a maneira como se recebia o rock, sendo responsáveis pela criação dos videoclipes que tanto se popularizam e tantas outras tendências, mas obviamente não foram eles a única grande banda da época, mas como não quero tornar o texto muito extenso não terei como falar de todas, mas há muitas bandas que não se pode deixar de destacar, esse é o caso dos Rolling Stones, que surgiram em 1962 em Londres, tendo um começo um pouco turbulento fora do Reino Unido, com uma turnê desastrosa pelos EUA, mas que logo conseguiram atingir o topo das paradas internacionais em 1965 com “(I Can’t Get No) Satisfaction”, que até hoje figura entre os grandes clássicos da historia do rock.

Entre as grandes bandas da época podemos destacar também o The Who (que junto aos Stones e os Beatles são as 3 principais bandas dessa invasão britânica), que tinham musicas marcadas pela agressividade, rebeldia e que foram grande influencia para muito das bandas que vieram depois, foram também os pioneiros em algo que muito se popularizou no Rock, a destruição dos instrumentos ao final dos shows, sendo responsáveis por grandes clássicos como a musica “My Generation”, que foi regravada por diversas outras bandas, isso sem falar na genialidade de Keith Moon, que foi um dos bateristas mais importantes da historia da musica.

Enfim, olhe o tamanho do texto e até agora só falamos da invasão britânica e a primeira metade da década, da pra notar como essa foi uma década com muitos acontecimentos e grande importância para a historia da musica, mas agora vamos sair um pouco do Reino Unido e partir para os acontecimentos marcantes que aconteceram nos EUA.

Ainda no começo da década Bob Dylan, grande destaque do Folk Rock, iniciava sua carreira com um grande fracasso que foi seu primeiro disco lançado em 1962, mas em 1963 lançara seu segundo disco que marcava o inicio de uma carreira de sucesso que traria influencias para todas as demais gerações. Seu primeiro grande sucesso foi a musica “Blowin’ in the Wind”, que trazia a pela primeira vez a musica algo que mais tarde se tornaria presente no Rock, o protesto.

Com grande influencia da musica do folk a explosão da guerra do Vietnã e do uso de drogas, surgia o rock psicodélico, como uma espécie de fuga de toda aquela violência que tomava conta do mundo e um tipo de constestação àquilo tudo, com temas obscuros, melancólicos, grandes referencias a drogas como o LSD e a experimentação constante de novas técnicas. Começou a se destacar com o lançamento de Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band (álbum em que os Beatles aderiam a essa tendência) e o surgimento de artistas como The Doors (liderados por Jim Morrison, que lançaram seu primeiro disco com grandes clássicos como “The End”, “Light My Fire” e “Break on Through”), Janis Joplin e Jimmy Hendrix (guitarrista mais genial de sua época, com um estilo único de tocar guitarra que investia principalmente na experimentação) chegando ao seu ápice com o festival de Woodstock, que aconteceu 1969 e marcava a reação de uma geração jovem que não se contentava com o caminho que as coisas estavam tomando.

Essa era de sexo, drogas e rock n roll foi um dos principais momentos onde o rock mostrou sua força e cresceu, mas como nada dura para sempre, essa era de ouro iniciou seu declínio com a separação dos Beatles e as mortes de Janis Joplin, Jimmy Hendrix e Jim Morrison, mas a influencia desses artistas e dessa era foi fundamental para os acontecimentos que se seguiram nos anos 70, mas isso é assunto para o próximo texto.

Musicas essenciais para se compreender a época:

Nenhum comentário:

Postar um comentário