31 de maio de 2012

Relatos de um legionário em êxtase

Deveria estar gravando o novo video do Vlog agora. Forças maiores me impedem. Esta passando a reprise do show em tributo à legião de hoje na TV, e eu não deixo de ver isso nem FODENDO.

Se este post tiver problemas gramáticais, relativos à acentuação ou a porra que for, foda-se, to escrevendo direto aqui no Blogger sem nenhum tipo de corretor me ajudando, são quase 3h da madrugada e eu to na pilha.

Desde muito pequeno sempre ouvi as músicas da Legião Urbana, e alias, quem nesse Brasil nunca ouviu? Pra mim Renato Russo é um verdadeiro gênio da música brasileira. Sempre me identifiquei pra caralho com as músicas da Legião, e não estou sozinho nessa. Fato é, por mais que façam quase 16 anos da morte do Renato, a quantidade de fãs deles só cresce. Músicas como "Será", "Tempo Perdido", "Faroeste Caboclo", "Que País é Esse", "Pais e Filhos", "Quase sem Querer" e tantas outras que não citarei aqui pra não começar a listar todas as músicas que eles fizeram, ficarão pra sempre registradas na história como o retrato de toda uma geração.

A maior tristeza minha e de qualquer legionário pertencente à minha geração é o fato de que nunca poderemos ver a banda em sua formação original, ali, com o Renato nos vocais, ao vivo na nossa frente. Por mais que o Bonfá e o Dado pudessem optar por continuar utilizando do nome "Legião Urbana" após a morte do Renato, se aproveitando dessa verdadeira marca que se criou para lucrar com shows, eles não o fizeram, porquê é mais do que obvio que sem o Renato não tem como ser Legião. Apesar disso, nada descreve o que estou sentindo ontem e hoje ao ter a oportunidade de ver esse tributo realizado pelos remanescentes Dado e Bonfá com a participação do genial Wagner Moura que assumiu os vocais para essa homenagem.

Não é uma tentativa de substituir o Renato, nem uma tentativa apenas de lucrar rios de dinheiro com a marca legião. Obviamente esse é um projeto que tem fins lucrativos, afinal de contas, o que não tem hoje em dia? Mas é nítido como o maior objetivo de tudo isso é uma franca homenagem à Legião, ao Renato, e a tudo que foi construído durante os anos que duraram essa que foi uma das carreiras mais bem sucedidas do Rock Brasileiro. Isso é algo feito de fã pra fã, é sincero, podemos ver na expressão do próprio Wagner Moura o modo como ele mesmo está emocionado por estar ali, não é atoa que a MTV esta batendo seus recordes de audiência no ano com esse show.

É de conhecimento de todos como Wagner Moura é fã da Legião, e a idéia da MTV de chamá-lo para participar foi simplesmente uma tacada de mestre. É um gênio prestando homenagem a outro, o que só reforça ainda mais o peso e a importância da Legião, e como alem de ator, Wagner já tem uma boa bagagem musical com sua banda "Sua Mãe", que já tive o prazer de ver ao vivo, acaba ficando uma homenagem aquém do que poderia ficar com um outro vocalista, mas que mesmo assim ainda está sendo executada de forma ótima, mas o melhor de tudo, de forma sincera. Nesse momento a reprise já acabou, já entrou em cena a música "Indiretas Já", do também genial Marcelo Adnet, o que só faz crescer cada dia mais minha admiração à esse canal que sempre foi o meu favorito entre todos aqueles que me estavam disponíveis na TV e que me faz ter cada vez mais a certeza que é lá que quero trabalhar no futuro. Mas como tudo que é bom tem seu fim, o show acabou, o video também, e aqui também se encerra esse post nesse Blog, meu diário digital (que está mais pra semanário, mas whatever).

Valeu Dado, valeu Bonfá, valeu Wagner! É impossível descrever a emoção que senti a ver essas duas apresentações, mesmo tendo visto apenas pela televisão. Pobres dos meus vizinhos e de meus moveis que tiveram que aturar um louco histérico pulando, gritando e cantando... E fica a dica, nós aqui do Rio de Janeiro também amamos a Legião! Tributo à Legião no Rio JÁ!

Saudações legionárias a todos. E pra quem não teve a chance de ver ao vivo a transmissão, ficam aqui os shows completos de hoje e de ontem no Youtube, e uma compilação em MP3 do show do dia 29/05/2012, em que esta faltando a música "Serenissima" pois não havia localizado ela até criar a compilação. Em breve atualizo o post com ambos os shows completos e em mp3.

Shows

29-05-2012
http://www.youtube.com/watch?v=FpnWtryh9Do


30-05-2012
http://www.youtube.com/watch?v=Cfd0iQXcNqE

Tributo 29-05-2012 em MP3:
http://www.4shared.com/rar/-zoSpYdo/Tributo__Legio_Urbana_MTV_29-0.html

Tributo 30-05-2012 em MP3:
http://www.4shared.com/rar/pSTmZVgN/Tributo__Legio_Urbana_MTV_30-0.html

26 de maio de 2012

Eu, eu mesmo e só eu.


Pra você que me conhece, pra você que não me conhece, esse é um post sobre mim, sobre como me sinto, de mim pra vocês, algo sincero para que todos possam de fato me conhecer. Pode até não parecer, mas essas são coisas que busco constantemente esconder. Tenho grande dificuldade em demonstrar o que sinto, então geralmente opto por simplesmente fechar boa parte de minhas preocupações e emoções ruins em meu mundinho particular e tentar ignorá-las como se simplesmente não existisse. O problema é que não é varrendo a sujeira pra debaixo do tapete que ela vai sumir, e um dia vai ter pouco tapete pra tanta sujeira, e você vai precisar arrancar essa sujeira de lá e botar pra fora. Esse dia é hoje.

Me segurem. Estou nervoso, histérico e me esforçando pra me controlar. Até aqui nada fora do normal com o qual já lido no meu dia-a-dia, costumo me sair bem em me manter ao menos aparentemente tranquilo, calmo e despreocupado com tudo. O problema é que minha insônia esta ainda mais atacada que o de costume, estou ouvindo o Hell and Back Together do TSOL, e tenho em minhas mãos uma lata de brigadeiro com uma colher dentro que já está quase acabando. O problema não é nem o brigadeiro estar acabando, o que já seria um grande problema por si só, mas estes são péssimos indicativos.

Eu absolutamente não sei qual imagem todos vocês têm de mim ou o que pensam sobre mim, mas sempre me importo. Pra falar a verdade acho que me importo e sempre me importei mais com os outros do que comigo mesmo. Nunca me dei um pingo de valor e credibilidade, até hoje posso dar a todos a certeza que sou extremamente inseguro e sem confiança. Acho que justamente por isso sempre busquei e busco até hoje dar meu melhor em tudo que for possível e sempre fazer de tudo para ajudar as pessoas, sempre foi essa a única maneira que encontrei de me sentir útil.

O meu maior problema é que tudo que faço sempre acabo achando que poderia ter feito melhor, sempre acho que não foi o bastante, sempre me cobro mais, mais e mais, e isso não é bom. Dentro da própria ECO, eu quero R&TV, não deveria nem ter toda essa nóia com o CR que eu tenho, nem mesmo se eu quisesse jornal pelo meu CR atual. É algo que vêm desde a minha infância, acho que no final das contas sempre gostei de estar no centro das atenções, e esse foi um dos jeitos que encontrei de fazê-lo. Não me sinto absolutamente nada bem com todas essas minhas neuroses, por mais que sempre esteja disfarçando elas com um sorriso.

Por mais que eu tenha todos vocês da ECO sempre ao meu lado sempre que preciso, e por mais que eu saiba que posso sempre contar com vocês, ainda me sinto sozinho, sinto que me falta algo, só não sei dizer ao certo o que é esse algo. Por diversas vezes sinto como se minha vida fosse vazia, sem sentido, e acho que no fim das contas essa é minha maior luta, dar um sentido a isso tudo, um sentido, uma justificativa de porque estou aqui, por mais que diversas vezes o único sentido que eu veja valendo a pena se lutar seja pela diversão. A questão é, até onde a diversão e a fuga das preocupações é o suficiente pra uma vida feliz? Não há como estar se divertindo o tempo todo, e não me sinto feliz durante todo o tempo.

Há uma pluralidade de Milton’s em mim que se alguém me perguntasse quem eu sou de fato, eu não saberia responder, acho que sou apenas a junção de tudo isso que sou e já fui. Eu sou triste, eu sou feliz, eu sou divertido, sou entediante, sou legal, sou chato, pirado, neurótico, histérico, tranquilo, calmo, relaxado, metódico, despreocupado, eu sou eu. Ponto final. Seria tão mais fácil se eu pudesse escolher como estou me sentindo... Acho que o importante é sempre continuar insistindo, sempre continuar nessa eterna busca do ser humano pela felicidade, seja ela utópica ou não. Há momentos que eu acho que eu só gostaria de ter alguém que ficasse ao meu lado sempre.

Enfim, o brigadeiro acabou, a latinha está no lixo e acho que é hora de encerrar o texto. Eu poderia continuar aqui falando, falando e falando mais sobre mim, mas acho que o melhor agora é simplesmente relaxar um pouco a cabeça e ouvir um pouco de música. Não há nada nesse mundo que me faça sentir melhor do que uma boa música, talvez chocolate, mas isso não vem ao caso, a balança não agradece... Não se preocupem comigo, é só um momento de crise e isso tudo vai passar, sempre passa. Estou envolto por um turbilhão de preocupações, cada hora somam-se mais e mais problemas, é manter o Vlog, manter o Blog, manter minha vida acadêmica em dia, projetos paralelos, problemas particulares, essa greve dos professores que até já me fez ir a toa para ECO ontem, sabendo que não iria ter a minha aula, para levar uma coisa para amigos meus para a aula deles que acabou nem acontecendo no fim das contas. Enfim, só precisava desabafar e botar pra fora o que eu sinto. Não se preocupem comigo, pois tudo que não quero é ver ninguém somando meus problemas aos seus problemas particulares.

Enfim, deixo aqui no final uma música bem depressiva, pois é exatamente isso que se faz quando se esta mal, coloca pra tocar uma musica depressiva pra ficar pior ainda xD. E espero que pelo menos terça eu consiga relaxar um pouco e me divertir, isso se eu conseguir dar um jeito no pequeno problema que esta transformando até o que deveria ser diversão em preocupação. Acho que preciso deixar de me preocupar tanto...


20 de maio de 2012

FUCK!


PUTA QUE PARIU CARALHO!

Você que está ai esperando um post comum do blog, saia agora, porque nada define melhor meu estado de espírito nesse momento e este post é um desabafo. Escrevo agora ao som de Dead Kennedys enquanto descarrego minha ira no pobre teclado que nada tem a ver com a história, mas tem que aturar os porradões que estou mandando.

Vamos aos fatos. Como vocês devem saber moro no alojamento, sozinho, e por isso sou responsável por todos os afazeres domésticos daqui, o que inclui fazer minha própria comida. Tenho um fogão elétrico, que gentilmente empresto ao meu vizinho, pois como só o utilizo uma vez por semana acho que não custa nada ajuda-lo. O problema é o estado em que ele me devolveu o fogão essa semana. Até porcos se sentiriam ultrajados com tamanha limpeza.

Deveria estar feliz por ter recebido ele de volta, afinal já passei por duas semanas onde ele não me devolveu a porcaria do fogão. Porém, recebi essa semana o fogão com uma CROSTA de sujeira queimada que após deixar de molho no veja, passar Bombril, deixar mais de molho, passar mais Bombril, deixar AINDA MAIS de molho e passar MAIS BOMBRIL, ainda não removi 100%. Nem mesmo as mil e uma utilidades foram suficientes pra combater o estrago, eu arranquei até parte da pintura do fogão nessas tentativas, mas isso não vem ao caso.

Eu até já deveria estar acostumado com o fato de toda semana ter que desperdiçar meu escasso tempo pra limpar esse fogão, coisa que meu vizinho deveria fazer. Mas não da pra se acostumar a conviver a sujeira. Não eu. E se não bastasse isso, ontem mesmo encomendei que não se esquecessem de me devolver a MALDITA EXTENSÃO que uso pra ligar o fogão. Tão efetivo quanto virar pra um gordinho com uma barra de chocolate na mão e falar “não come isso não, engorda, da espinha, blábláblá...”. 

Fim das contas : é domingo a noite, gastei uma hora pra limpar o MEU fogão pra deixá-lo o mais próximo de limpo que consegui, não posso utilizá-lo porque não tenho uma tomada pra ligá-lo (não bastasse ser do novo encaixe, é da versão grossa que você quase não acha adaptador...), os reservas do meu Corinthians perderam o primeiro jogo do Brasileirão em pleno Pacaembu, e a menos que meu vizinho troféu jóinha chegue ainda hoje vai ser um “se vira nos 30” do caralho pra mim ter o que comer essa semana. O que falta pra completar meu domingo?

Enfim, desejem-me sorte, pra que eu consiga o que comer e não esteja sendo levado pra cadeia por homicídio amanha. Acabou a paciência e acabou o amor no coração, a partir de hoje meu fogão fica trancadinho no meu quarto, independente de quanto eu escute que isso não ira se repetir. Grato a todos pela paciência. Até semana que vem.

14 de maio de 2012

Ah, o pobre!


Vamos lá, você ai, garoto juvenil criado a leite, pera e ovomaltino, ri desse post não pô! Nós pobres também temos coração ): . Pode não parecer, mas também somos gente (há controvérsias)! Você já abraçou seu pobre hoje? Nós pobres podemos não ter beleza, dinheiro ou saúde, mas alegria e amor pra dar ainda sobram!

Como pobre de carteirinha, que lambe o dedo quando come algo, vai ao shopping só pra ficar olhando vitrine e tem Bombril na antena na TV, acho que tenho total legitimidade pra tratar do assunto. E convenhamos, além de fodido, pobre também é foda, nos dois sentidos que se pode dar a esta frase. Merecíamos estudo cientifico pelas proezas que conseguimos realizar. Mas o pior de tudo é o dom que muitos de nós temos de perturbar a paz alheia. Seja com funk no último volume durante aquela linda manha de domingo ou levando pra uma viagem de 6 horas de ônibus sua sobrinha de quatro anos que não consegue ficar quieta por um único minuto, somos praticamente uma superação dialética de tudo que há de mais bizarro na face da terra.

Apesar disso tudo, não nos odeiem, pensem de forma positiva! Encarem cada música bizarra da Valesca Popozuda que você é obrigado a ouvir no ônibus, cada barraco entre cobrado/guarda/vendedor/whatever e algum pobre, como demonstrações de amor! Só não retribuam esse amor com voadoras, por favor...

Imaginem o que seria um mundo sem nós? Note, por favor, que estou falando do ser que se chama de pobre, não do estado de pobreza, não vão me entender mal! Ser pobre vai muito além de não ter dinheiro, não é só um estado financeiro, é todo um estado de espírito e estilo de vida! Ser pobre é apertar parafuso com faca de ponta redonda, usar garrafa de refrigerante pra guardar água, comprar sofá e deixar com plástico pra não estragar, esperar a hora da xepa pra ir à feira, reaproveitar as camisas do irmão mais velho, lamber a tampa do Danone, usar sacola plástica de lixo, pendurar roupa na janela (vide meu vídeo) e tantas outras coisas.

Ninguém gosta do estado de ser pobre, mas o pobre é quem da vida a essa porra toda! Um mundo de ricos seria tão sem graça... E você ai que assim como eu luta pra sair da pobreza, um aviso: você pode até sair da pobreza, mas o ser pobre nunca vai sair de você! Supera e vamos buscar o que mais importa, vamos buscar a felicidade, pois nada importa tanto quanto isso. É como já disse o Renato Russo enquanto cantava Que Pais é Esse no álbum “Como é que se diz eu te amo”: não adianta concertar o resto, concertar agente ajuda pra caramba!

Carpe Diem meus amigos! Vamo que vamo manolada \m/

12 de maio de 2012

Enquanto o post da semana não vem...

... fiquem com o vídeo de estréia do Vlog do Manolo! Quem viu aprovou, até agora fiz apenas uma introdução, mas não percam o maior e melhor Vlog já feito na Ilha do Fundão! Contro com o apoio de todos \m/


7 de maio de 2012

A vida até parece uma festa


Falem manolos \m/. Segunda 20h30, eu aqui na ECO como sempre a toa aguardando pelo busão das 22h15. Faz uma semana que eu não publico nada aqui, e como eu estou fazendo em média uma postagem por semana (e também porque o Wi-Fi não ta funcionando e não tenho mais nada pra fazer), decidi escrever a postagem da semana, que será publicada que a internet decidir colaborar com a minha pessoa...

Estava aqui ouvindo Pitty (me julguem, vocês que não gostam dela) e pensando sobre o que escrever hoje e foi ai que pensei: “Vou escrever sobre o que mais gosto de fazer! Merda!”. Não no sentido de excrementos, como confundi outro dia quando uma amiga minha digitou coco(a fruta) e li cocô, mas no sentido de fazer merda mesmo.

Eu, já livre docente no assunto, considero o fazer/falar merda não só uma prática, mas uma arte. O que mais tem por ai é gente falando merda, fazendo merda eu nem vou comentar. Que atire a primeira pedra quem nunca fez algo do gênero na vida. Mas como tudo na vida, existem os momentos certos de se chutar o balde. É a grande diferença entre ser alguém que faz merda e ser alguém que faz de si mesmo ela.

Eu acho que a vida sem todas as coisas estúpidas e idiotas que fazemos não teria a mínima graça. Lembram o coringa do Cavaleiro das Trevas? Então manolos, faço das palavras dele as minhas: “Why so serious? Lets put a smile on that face”. Não tem nada que me incomode mais do que ver uma pessoa quieta e sozinha num canto, porque eu já fiquei muito tempo assim na minha vida, e só eu sei o quanto eu não gostava disso. Mas enfim, todos precisam se divertir um pouco as vezes, e nada mais divertido do que fazer merda com os amigos.

Não é que eu esteja querendo tomar a mim como parâmetro comparativo pra qualquer coisa. Mas não são todas as pessoas que gosto e procuro ter ao meu lado, mas essas pessoas são aquelas pras quais eu estaria disposto a fazer de tudo só pra ter certeza que elas estão bem, e sei que se precisasse delas também poderia contar com elas. Essas pessoas sempre costumaram ser poucas em minha vida, até eu chegar aqui na ECO, onde pela primeira vez encontrei um lugar com muitas pessoas das quais eu gosto e pelas quais daria minha vida. Mas mesmo estando com pessoas com as quais você gosta de estar, sempre existem momentos em que você quer falar ou fazer alguma coisa, e você simplesmente não sabe o que. É nesse ponto que voltamos à importância de falar/fazer merda.

Numa roda de amigos ou mesmo conversando sozinho alguém, as coisas mais divertidas de se fazer, falar, comentar ou especular sobre são as mais absurdas, bizarras e sem sentido. Pode ser difícil acertar a dose, algumas vezes pode-se exagerar demais e pegar pesado, errar o timing, ser mal interpretado ou o que for, mas não tem nada mais prazeroso do que isso, nos momentos que não se sabe o que falar então, esta ai solução, é infalível xD. Enfim, melhor se acostumarem com isso, pois quanto mais eu gosto de uma pessoa, mais eu vou ficar falando coisas bizarras, inúteis, sem sentido, idiotas, ou até mesmo tentando puxar assunto sem ter absolutamente nada pra falar. Eu encho muito seu saco? Sinta-se feliz, isso significa que eu gosto muito de você, supera.

Eu não vou ficar falando aqui sobre cada coisa estúpida/idiota/no sense/whatever que já fiz, porque não quero escrever uma bíblia. Mas o que quero dizer é: Façam merda! A vida é uma, a vida é curta e só se vive uma vez, melhor se arrepender do que fez do que do que não fez. Vamos aproveitar cada momento como se fosse o ultimo, porque é assim que se é feliz. Não deixemos de calcular as consequências de nossos atos, pra não deixar que isso atrapalhe a nós ou nossa imagem, mesmo que algumas vezes a porra possa fugir do controle e ficar séria, porque ninguém quer ser lembrado por terem tido que chamar uma ambulância pra te buscar (isso já aconteceu comigo, sad but true...). Mas vamos lá manolada, geral ser feliz porra \m/.

Ps. Puta merda, eu sempre escrevo mais do que esperava e sempre levo o que escrevo pra caminhos bizarros completamente diferentes dos que pensava em seguir e.e