14 de maio de 2012

Ah, o pobre!


Vamos lá, você ai, garoto juvenil criado a leite, pera e ovomaltino, ri desse post não pô! Nós pobres também temos coração ): . Pode não parecer, mas também somos gente (há controvérsias)! Você já abraçou seu pobre hoje? Nós pobres podemos não ter beleza, dinheiro ou saúde, mas alegria e amor pra dar ainda sobram!

Como pobre de carteirinha, que lambe o dedo quando come algo, vai ao shopping só pra ficar olhando vitrine e tem Bombril na antena na TV, acho que tenho total legitimidade pra tratar do assunto. E convenhamos, além de fodido, pobre também é foda, nos dois sentidos que se pode dar a esta frase. Merecíamos estudo cientifico pelas proezas que conseguimos realizar. Mas o pior de tudo é o dom que muitos de nós temos de perturbar a paz alheia. Seja com funk no último volume durante aquela linda manha de domingo ou levando pra uma viagem de 6 horas de ônibus sua sobrinha de quatro anos que não consegue ficar quieta por um único minuto, somos praticamente uma superação dialética de tudo que há de mais bizarro na face da terra.

Apesar disso tudo, não nos odeiem, pensem de forma positiva! Encarem cada música bizarra da Valesca Popozuda que você é obrigado a ouvir no ônibus, cada barraco entre cobrado/guarda/vendedor/whatever e algum pobre, como demonstrações de amor! Só não retribuam esse amor com voadoras, por favor...

Imaginem o que seria um mundo sem nós? Note, por favor, que estou falando do ser que se chama de pobre, não do estado de pobreza, não vão me entender mal! Ser pobre vai muito além de não ter dinheiro, não é só um estado financeiro, é todo um estado de espírito e estilo de vida! Ser pobre é apertar parafuso com faca de ponta redonda, usar garrafa de refrigerante pra guardar água, comprar sofá e deixar com plástico pra não estragar, esperar a hora da xepa pra ir à feira, reaproveitar as camisas do irmão mais velho, lamber a tampa do Danone, usar sacola plástica de lixo, pendurar roupa na janela (vide meu vídeo) e tantas outras coisas.

Ninguém gosta do estado de ser pobre, mas o pobre é quem da vida a essa porra toda! Um mundo de ricos seria tão sem graça... E você ai que assim como eu luta pra sair da pobreza, um aviso: você pode até sair da pobreza, mas o ser pobre nunca vai sair de você! Supera e vamos buscar o que mais importa, vamos buscar a felicidade, pois nada importa tanto quanto isso. É como já disse o Renato Russo enquanto cantava Que Pais é Esse no álbum “Como é que se diz eu te amo”: não adianta concertar o resto, concertar agente ajuda pra caramba!

Carpe Diem meus amigos! Vamo que vamo manolada \m/

Nenhum comentário:

Postar um comentário